Annecy 2018: Criatividade brasileira é destaque no festival de animação mundial

annecy-2018

Organizada pela Association d’International du Film d’Animation (Associação Internacional de Filmes de Animação), o Annecy International Animated Film Festival (Festival International du Film d’Animation d’Annecy ou Festival Internacional de Cinema de Animação de Annecy) é um importante evento que acontece anualmente na cidade de Annecy na França, desde 1960, e é considerado um dos principais e mais relevantes festivais de animação do mundo.

Este ano (2018), o Festival de Annecy acontece entre os dias 11 e 16 de Junho e, através de uma reportagem completíssima, a revista americana awn.com, destaca a criatividade da animação brasileira no Festival e a sua resiliência ao longo das décadas até os dias de hoje: desde a primeira animação produzida no país, em 1917, até o vibrante cenário contemporâneo, o Festival Internacional de Cinema de Animação de Annecy, em 2018, apresenta o melhor de um século de animação brasileira.

Rio 2096-Story of Love and FuryRio 2096: A Story of Love and Fury (Rio 2096: Uma História de Amor e Fúria)

Quando o Brasil foi premiado com o Annecy Cristal Awards pelas obras Rio 2096: A Story of Love and Fury (Rio 2096: Uma História de Amor e Fúria) e Menino e o Mundo em 2013 e 2014, respectivamente, o mundo da animação não pôde deixar de notar o potencial artístico brasileiro.

Mas, na verdade, as vitórias consecutivamente foram apenas a cereja do bolo para uma indústria que teve um crescimento notável na última década. Em 2008, havia apenas 2 seriados animados em produção no Brasil. Hoje, 44 séries domésticas estão sendo exibidos na televisão brasileira e exportados para mais de 150 países. Além disso, 2017 também contou com o lançamento de 7 longas-metragens, com outros 25 atualmente em produção, incluindo numerosas co-produções com parceiros latino-americanos e europeus.

Annecy nomeou o Brasil como “Country of Honor” para 2018, comenta o diretor artístico do Festival  Marcel Jean, declarando: “a animação brasileira marcou a de vez o seu firmamento em Annecy com o status de estrela… queremos mostrar como esse grande território é uma poderosa fonte de criatividade, como os animadores brasileiros bêbado dessas águas para estabelecer uma expressão incomum e marcante. ”

Boy and the WorldBoy and the World

Em 2015, as indústrias criativas no Brasil valiam US$ 47 bilhões, representando 2,64% do PIB total do país. Com a animação sendo um componente cada vez mais importante, o governo brasileiro não está perdendo a oportunidade de mostrar sua indústria no maior palco do mundo.

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) ou Brazilian Trade and Investment Promotion Agency, cuja missão é divulgar o conteúdo audiovisual brasileiro no exterior, está planejando uma “invasão brasileira” no Festival de Annecy que acontece agora em Junho de 2018, organizada por quatro órgãos exportadores e reunindo 30 empresas brasileiras e mais de 200 delegados.

Tito and the BirdsTito and the Birds (Tito e os pássaros)

Liderando a tropa em Annecy está a Brazilian Content que irá administrar uma delegação composta de mais 600 empresas, das quais cerca de metade são ligadas diretamente a produção de animação. A Brazilian Content promove a produção independente de TV e conteúdo digital no exterior, possibilitando parcerias entre empresas brasileiras e estrangeiras.

Juntamente com eles estarão o Cinema do Brasil, responsável pelo cinema brasileiro, e a FilmBrazil, a maior rede de publicidade da América Latina, representando mais de 50 empresas brasileiras de produção, pós-produção e interatividade.

Outra agência apoiada pelo governo, a Brazil Music Exchange, levará bandas ao vivo para se apresentar pela cidade. Ruben Feffer, o maestro por trás de vários filmes de animação, incluindo O Menino e o Mundo, Tito e os Pássaros, e pelo menos oito séries de TV, também estará no painel “Música e Animação” do Festival.

Haverá também uma exposição da história da animação brasileira, com curadoria da ABCA (Associação Brasileira de Cinema de Animação), e um livro especial, filme, site e campanha publicitária criados pela Apex-Brasil.

GuidaGuida

Para o conteúdo da parte brasileira do Festival, a organização da Annecy 2018 concedeu controle criativo aos fundadores do Anima Mundi. Juntamente com a exposição de 3 curtas animados e episódios de algumas séries de TV, haverá também a exibição de um documentário sobre animação brasileira,intitulada Luz, Anima, Ação. A equipe optou por se concentrar na vibrante cena contemporânea, em vez de curar programas especificamente históricos.

O Brasil também vai competir na categoria de Short Film (Curta-Metragem) com Guaxuma, coprodução Brasil-França, na de Off-limits Shorts (“Curtas sem limites”) com Boy Transcoded from Phosphene e The Feather Pillow, e também na categoria de Commissioned Filmes (“Filmes encomendados”), para os quais a Vetor Films está trazendo dois projetos. O brasileiro Fabio Yabu, que escreveu o livro que virou animação Sea Princes (Princesinhas do Mar), estará no júri.

A Cidade dos PiratasA Cidade dos Piratas

O Brasil organizará a festa de abertura do Festival que acontecerá no dia 12 de junho. Enquanto o pavilhão brasileiro de 45 metros quadrados será utilizado como palco para recepcionar as pessoas, ao mesmo tempo, a área utilizada também servirá para aqueles que buscam informações sobre o cenário industrial do entretenimento animado do Brasil e oportunidades co-produção. Haverá também a sessão anual do Territory Focus e uma série de painéis com o estúdio TV Pinguim, produtores das animações do Peixonauta e Show da Luna, a propriedade animada televisiva mais bem-sucedida do Brasil.

A gerente executiva da Brazilian Content, Rachel Do Valle, diz que o objetivo é “promover a indústria de animação do Brasil e gerar novos negócios, parcerias e co-produções. É um processo passo a passo para se tornar mais internacional. ”

Marcos Magalhães, um dos 4 fundadores do AnimaMundi, acredita que a criatividade brasileira é seu maior patrimônio. “Nas co-produções, a maioria das partes criativas são brasileiras”, ele diz, “começamos criando nossos próprios personagens e séries animadas. Não somos conhecidos como trabalho de aluguel. ”

any maluThe SURrealworld of Anu Malu

Apesar dos grandes avanços positivos nos últimos tempos, o mercado brasileiro de animação ainda enfrenta muitos desafios. A distribuição doméstica permanece atrofiada, particularmente para o conteúdo produzido no Brasil, enquanto a recente turbulência política e econômica tem moderado o crescimento. No entanto, os envolvidos na indústria de animação brasileira continuam otimistas.

“Sempre tivemos ondas no país em que tudo era melhor e, em seguida, tudo ficou pior.” “Mas os brasileiros são muito criativos. Não importa o que aconteça, sempre estaremos evoluindo.” diz Léa Zagury, outra fundadores do AnimaMundi.

show da lunaO show da Luna